domingo, 30 de setembro de 2007

In Black Jesus Del Pozo x Délices de Cartier


O velho ditado que diz que "na vida nada se cria tudo se copia" é uma verdade bem considerável no ramo perfumístico; claro que não aplicável a todos os perfumes e seus narizes criadores, no entanto quem procura sempre acha algum ponto de intersecção em criações de um mesmo perfumista e, eu encontrei similaridades ao experimentar In Black,o perfume do estilista e executivo da
moda espanhola, Jesus Del Pozo.
A minha intenção não foi incorporar a ' scentblogger Sherlock Holmes' para descobrir de onde vinha tal semelhança entre In Black e Délices de Cartier, mas depois de um tempo que se conhece um pouco mais do ramo perfumístico, é muito fácil estabelecer alguns diálogos entre aromas.
No caso desta fragrância e de Délices de Cartier, ambos foram criados pela perfumista Christine Nagel, respectivamente em 2005 e 2006, o que mostra que o perfume de Cartier sofreu a influência de In Black. Nesta hora, minha crítica ferina é imaginar o que leva uma maison como Cartier a investir milhões (ou até mais) em um lançamento de um mesmo nariz que evidencia, nitidamente, uma lembrança de um perfume de outra grife. Nem Freud explica.
Ambos os perfumes levam uma nota que é o pilar aromático dos perfumes, a cereja. In Black abre notas de cereja negra, doce, quente e agradável , a qual evolui para um corpo floral frutal abaunilhado, levemente
licoroso e atalcado com a protagonização das notas de cereja, jasmin, madeira licorosa, baunilha e patchouli. Délices apresenta-se como um perfume menos quente e adocicado, com a presença da cereja gelada. O início trabalha o paradoxo do quente e frio, pois o aroma tem o frescor deste tipo de cereja com o calor esperado por qualquer tipo de fruta vermelha. A evolução é aconchegante e mais contida em comparação a In Black. Isso porque o efeito licoroso e atalcado não é uma característica de Délices e sim uma base floral frutal almiscarada, ambarina e, principalmente, com leves nuances abaunilhadas e amendoadas, em função da ação da fava bean. Ambos os perfumes também levam Jasmin e violeta nas composições .
Além da aproximação aromática, os perfumes também estão bem próximos com relação às propostas de suas marcas. In Black, como grande parte dos perfumes de estilistas, tem o objetivo de acompanhar a pele da mulher moderna, luxuosa, envolvente e transgressora, com apelo de uso noturno . Cartier lança seu Délices para a mulher glamourosa, ousada e sedutora. Em resumo, intenções semelhantes envoltas em um frasco com cerejas.
Diante destas similaridades, só me resta acreditar que Christine Nagel deixou-se influenciar, mesmo que desintencionalmente, na criação de Délices e, Jesus del Pozo ganhou uma versão mais 'clean', iluminada e sutil para uso durante o dia, ainda que em nome de Cartier. Bom ou ruim? Não para o(a) potencial comprador (a) que terá à disposição dois bons perfumes a la Cherry.





Fotos: Campanha In Black Jesus del Pozo e Délices de Cartier. Fontes: JP site
e Cartier site, respectivamente.

Um comentário:

Beta disse...

Não conhecendo In Black fiquei curiosa. Sempre que possível procuro saber sobre a criação do perfume, visto que perfumistas parecem ter assinatura característica,levando o consumidor a apreciar ou não a maioria das suas composições.
Também aguçou minha curiosidade o texto sobre os perfumes árabes.gostei muito.